Good Shepherd Sunday

April 30, 2023

Gospel John 10:1-10 

Peter exhorts the Christians to turn to Christ and consolidate their relationship with him. He admonishes them – you must repent and save yourselves from this perverse generation, and then he goes on to answer the question in the second reading – why should the just suffer? He asks us to look at Jesus who suffered and was victorious through his suffering and death. Jesus has shown us the way we too should go.

The fourth Sunday of Easter has been traditionally known as the Good Shepherd Sunday. Also, we celebrate it as a day of prayer for vocations. Today, Jesus tells us exactly who he is, because the most important thing we need to know is who is taking care of us, whose voice we have to listen to for our protection. Remember that at the time the scriptures were documented, raising sheep and fishing were everyday livelihood. People understood stories with these contexts.

In the Gospel of John, Jesus declared that he is the good shepherd who not only loves and cares for us, but also lays down his life for us. We are the sheep of Christ and we belong to him.

Today’s Gospel commemorates four marks of Christ’s sheep.

The sheep knows their shepherd:

The shepherd (Christ) knows his sheep (Christians), and the sheep know their shepherd.  Between Christ and his people, there is a relationship of mutual knowledge, a reciprocal knowledge, which is not superficial, but intimate.  The shepherd knows his sheep intimately, even by its name.  We, as the sheep of Christ must make constant efforts to learn about our shepherd – the Christ. One of the most important ways to learn about Christ is to read the scriptures – read and meditate. St. Jerome, the man who first translated the scriptures into the common Latin language said “ignorance of scriptures is the ignorance of Christ.”

The sheep know his voice:

One biblical commentator, H.V. Morton relates an interesting incident which took place not far from Bethlehem. Two shepherds had evidently spent their night along with their sheep in a cave.  Morning came and the sheep were all mixed up.  The time came to part in different directions.  One shepherd stood some distance away from the sheep and began to call. First one, then another and then four or five animals began to run towards him and so on until he counted his whole flock. The sheep recognizes the voice of the shepherd.

We, being the sheep of Christ’s flock, must be familiar with his voice. These days there are many who claim to echo the voice of God, but in reality they are thieves and brigands. They come not to care for us, but to enrich themselves.  We need to be cautious to identify the voice of Christ.

The sheep love and trust him:

The good shepherd is not a hireling. He is not a paid servant. He loves his sheep and is ready to lay down his life for the sheep. His priority is the sheep and their wellbeing. The shepherd loves his sheep and the sheep love him.  In the book of prophet Isaiah, the Lord said – I love you with an everlasting love. We should confidently say along with King David – The Lord is my shepherd. We should have the spirit of assured dependence on our Lord, the good shepherd.

The sheep follow him:

When the good shepherd gives the call, the sheep hear him and follow him. He does not drive the flock, rather he leads them. He leads them as King David said – he leads me besides still waters (Ps. 23:2). In the presence of Jesus, we are safe; under the leadership of Jesus, we will never miss the way; for he alone knows the way to the heavenly Father. We gladly follow Christ. We delight to be obedient to him; it is the obedience of love to which we are constrained by the example of our master Jesus.

This reminds me of a story:

A sheep farmer had a lot of sheep but his neighbour’s dog continually killed his sheep. To remedy the situation he came up with 3 solutions – the first solution was to sue the neighbour, but it would be a long process and costly. Second option was to build a high wall, but that would take long and would be costly. The third option was to donate 2 lambs to the neighbour’s children, which he did. In due time, the lambs grew up and had other lambs. The neighbour got to see the sheep not as an impersonal herd, but as something warm and fuzzy. He penned in the dogs and there was no more killing of the sheep by the dogs.

 

Evangelho João 10:1-10 (Domingo do Bom Pastor)

Pedro exorta os cristãos a voltarem-se para Cristo e a consolidarem a sua relação com Ele. Ele admoesta-os – deveis arrepender-vos e salvar-vos desta geração perversa, e depois responde à pergunta na segunda leitura – por que razão devem os justos sofrer? Ele pede-nos que olhemos para Jesus que sofreu e foi vitorioso através do seu sofrimento e morte. Jesus mostrou-nos o caminho que também nós devemos seguir.

O quarto domingo de Páscoa é tradicionalmente conhecido como Domingo do Bom Pastor. Além disso, celebramo-lo como um dia de oração pelas vocações. Hoje, Jesus diz-nos exatamente quem é, porque o mais importante que precisamos de saber é quem cuida de nós, cuja voz temos de ouvir para a nossa proteção. Lembre-se de que, na época em que as escrituras foram documentadas, criar ovelhas e pescar eram meios de subsistência diários. As pessoas entendiam histórias com esses contextos.

No Evangelho de João, Jesus declarou que Ele é o bom pastor que não só nos ama e cuida, mas também dá a sua vida por nós. Somos as ovelhas de Cristo e pertencemos a Ele.

O Evangelho de hoje comemora quatro marcas das ovelhas de Cristo.

As ovelhas conhecem o seu pastor:

O pastor (Cristo) conhece as suas ovelhas (cristãos), e as ovelhas conhecem o seu pastor.  Entre Cristo e o seu povo, existe uma relação de conhecimento recíproco, um conhecimento recíproco, que não é superficial, mas íntimo.  O pastor conhece intimamente as suas ovelhas, até pelo seu nome.  Nós, como ovelhas de Cristo, devemos fazer esforços constantes para aprender sobre o nosso pastor – o Cristo. Uma das maneiras mais importantes de aprender sobre Cristo é ler as escrituras – ler e meditar. São Jerônimo, o homem que primeiro traduziu as escrituras para a língua latina comum, disse que “a ignorância das escrituras é a ignorância de Cristo”.

As ovelhas conhecem a sua voz:

Um comentador bíblico, H.V. Morton, relata um incidente interessante que ocorreu não muito longe de Belém. Dois pastores tinham evidentemente passado a noite juntamente com as suas ovelhas numa gruta.  A manhã chegou e as ovelhas estavam todas misturadas.  Chegou a hora de partir em direções diferentes.  Um pastor ficou a alguma distância das ovelhas e começou a chamar. Primeiro um, depois outro e depois quatro ou cinco animais começaram a correr em sua direção e assim por diante até que ele contou todo o seu rebanho. A ovelha reconhece a voz do pastor.

Nós, sendo as ovelhas do rebanho de Cristo, devemos estar familiarizados com a sua voz. Hoje em dia há muitos que afirmam ecoar a voz de Deus, mas na realidade são ladrões e bandidos. Eles não vêm para cuidar de nós, mas para enriquecer.  Precisamos ser cautelosos para identificar a voz de Cristo.

As ovelhas amam e confiam nele:

O bom pastor não é uma contratação. Ele não é um servo remunerado. Ele ama as suas ovelhas e está pronto a dar a vida pelas ovelhas. A sua prioridade são as ovelhas e o seu bem-estar. O pastor ama as suas ovelhas e as ovelhas amam-no.  No livro do profeta Isaías, o Senhor disse: Eu vos amo com um amor eterno. Devemos dizer com confiança, juntamente com o rei Davi: O Senhor é meu pastor. Devemos ter o espírito de confiança segura de nosso Senhor, o bom pastor. No livro do profeta Isaías, o Senhor disse: Eu vos amo com um amor eterno. Devemos dizer com confiança, juntamente com o rei Davi: O Senhor é meu pastor. Devemos ter o espírito de confiança segura de nosso Senhor, o bom pastor.

As ovelhas seguem-no:

Quando o bom pastor faz o chamado, as ovelhas ouvem-no e seguem-no. Ele não conduz o rebanho, mas o conduz. Ele os conduz como disse o rei Davi – Ele me conduz além de águas paradas (Sl. 23:2). Na presença de Jesus, estamos seguros; sob a liderança de Jesus, nunca perderemos o caminho; porque só Ele conhece o caminho para o Pai celeste. Seguimos Cristo de bom grado. Deleitamo-nos em ser obedientes a Ele; é a obediência do amor a que somos constrangidos pelo exemplo do nosso mestre Jesus.

Isto faz-me lembrar uma história:

Um criador de ovelhas tinha muitas ovelhas, mas o cão do seu vizinho matava continuamente as suas ovelhas. Para remediar a situação, ele apresentou 3 soluções – a primeira solução era processar o vizinho, mas seria um processo longo e caro. A segunda opção era construir um muro alto, mas isso levaria muito tempo e seria caro. A terceira opção foi doar 2 cordeiros para os filhos do vizinho, o que ele fez. No devido tempo, os cordeiros cresceram e tiveram outros cordeiros. O vizinho chegou a ver as ovelhas não como um rebanho impessoal, mas como algo quente e confuso. Ele criava os cães e não havia mais morte das ovelhas pelos cães.

 

Back to top Secured By miniOrange